Compartilhar
Kenny_Baker-1
Kenny Baker dentro de R2-D2

10 anos após sua última aparição nos cinemas, R2-D2 dá lugar ao novo droide astromecânico da franquia: BB-8. Kenny Baker, ator britânico conhecido por ser o homem por dentro do R2-D2, teve presença confirmada no novo “Star Wars: O Despertar da Força”. Porém dessa vez a Disney resolveu abrir mão da incrível tecnologia de anões e maravilhou o mundo com seu incrível droide em formato de bola e sua cabeça que aparentemente desafia as leis da física. Muitas pessoas se mostraram céticas quanto ao BB-8 existir na vida real. Isso até o mesmo fazer sua primeira aparição pública no palco da “Star Wars Celebration 2015”, rolando pelo palco e trocando possíveis farpas com R2-D2. O simpático droide conseguiu conquistar o público até mesmo bem antes da estreia do filme e seu brinquedo já é o mais esperado no natal dos EUA. Mas afinal, como BB-8 consegue rolar livremente por ai? Por que a Disney não optou por fazer uma versão computadorizada? E o mais importante… Qual é o mistério por trás da cabeça que flutua?!

BB-8 na Star Wars Celebration 2015
BB-8 na Star Wars Celebration 2015

Ao contrário do que a internet massivamente sugeriu, BB-8 não é movido por um hamster e sua cabeça não flutua por causa da Força. Mas a resposta pode não estar tão longe… Uma dupla de designers espanhóis fãs de Star Wars descobriram uma patente registrada pela Disney em 2010 especificando um robô em forma de bola que pode mover seu corpo omnidirecionalmente através de rodinhas no seu interior. BB-8 por dentroA única diferença é que em vez de uma cabeça, a maioria das fotos mostra uma pessoa se equilibrando num suporte. Um pequeno motor gira uma ou mais rodinhas e dependendo da combinação das mesmas, a bola consegue se mover em qualquer direção. Ou seja, algumas rodas giram a bola por dentro assim como um hamster faz com a sua bola de exercício. Porém, o conceito dessa tecnologia não é nenhuma novidade. Um produto muito similar é a Sphero, uma bola criada pela empresa de mesmo nome e que pode ser controlada pelo celular. Sphero foi uma das 10 startups fundadas pelo programa de aceleração da Disney em 2014. E adivinha qual empresa ficou responsável por fabricar e vender a versão em miniatura do novo droide da Disney? Acertou se disse Sphero.

Imagem da patente da Disney
Imagem da patente da Disney

Tanto a patente quanto a Sphero possuem mecanismos muito similares. A base mais pesada do lado de dentro mantém o centro de gravidade do robô muito próximo do chão. Isso aumenta a fricção das rodinhas com o corpo, ou seja, não deixa que elas escorreguem. O robô também conta com giroscópios e acelerômetros (dos mesmos que você tem no seu celular) para ter um total senso de direção. A patente da Disney só difere da Sphero exatamente na parte mais interessante: Por dentro do robô, existe uma haste que se conecta magneticamente com a cabeça do lado de fora. Um sistema de controle garante que tudo está em equilíbrio e que a haste estará sempre vertical. Essa haste então pode ser girada e movida em qualquer direção através de um controle remoto, consequentemente movendo a cabeça do droide. Diferente da versão da Sphero, que para girar a cabeça precisa girar todo o seu mecanismo interno.

BB-8 é uma bola de Hamster
Hamsters ou anões?

Os dois designers espanhóis fizeram um site super legal exclusivamente para explicar o funcionamento do novo droide. O site possui desenhos e animações mostrando os possíveis mecanismos do BB-8 por dentro. Você pode conferir o trabalho deles aqui: How BB-8 Works? Mas é claro que isso tudo é apenas uma especulação… E até que os criadores se pronunciem, a esperança de Hamsters Jedis continua viva.

 

E você, o que acha? Nos ajude comentando e compartilhando esse post. ;)

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Salve, Ewerton!

    Finalmente, o segredo foi revelado: na verdade, a consciência do Mestre Yoda transmigrou para a cabeça flutuante do droide, utilizando-se da força para fazer a esfera girar. O que acha?

    Brincadeiras à parte, só me resta observar que enquanto o cinema americano produz esse tipo de tecnologia, a sétima arte brasileira produz apenas dramalhões, libidinagem e esquetes chinfrins de piadas sem graça e/ou requentadas. E aí, dá para comparar?

    Abraço,
    Luiz.

    • Fala, Luiz!

      Tudo é possível! Hahaha Às vezes ficamos apenas com as grandes produções na memória, mas o Tio Sam está cheio de seriados meio-boca também. Porém com certeza estamos muito atrás. Mas convenhamos… Star Wars é quase que um país só por ele mesmo. Haha Nível de produção de outro mundo… Admiro a criatividade e vontade para criar o droide apenas para fazer o filme, que poderia ter sido feito com computadores. Obrigado pelas visitas, Luiz! Haha Um abraço!

      Ewerton

Deixe uma resposta