Compartilhar
Explosão da Death Star
Um tanto fantasioso…

Exceto alguns filmes de ação indianos que parecem não saber muito bem o que é física, ficções científicas ironicamente costumam ser o gênero mais cientificamente incorreto de todos. Por ser um gênero de fantasia, em que tudo é possível, autores e diretores acabam usando isso como desculpa para burlar inclusive a física que já conhecemos. (Vide o barulho de explosões no espaço sideral sem qualquer meio para transportar o som.) Porém os perdoamos pois sabemos que tudo isso é em prol de uma realidade que é mais fantástica do que a nossa. Porém… E quando a vida se torna mais estranha que a ficção? Após 10 anos de espera, Star Wars está de volta aos cinemas com o filme “Star Wars: O Despertar da Força”. Leia e Luke, mais envelhecidos, estão de volta no novo filme. Porém os gêmeos Skywalker não deveriam mais ter a mesma idade e aqui está o porquê…

A vida é infinitamente mais estranha do que tudo que a mente humana seria capaz de inventar.

-Sherlock Holmes

O paradoxo dos gêmeos
O paradoxo dos gêmeos ilustrado

A velocidade da luz, equivalente a 300.000 quilômetros por segundo, é a velocidade mais rápida do Universo. Nada pode viajar mais rápido que ela. E a teoria da Relatividade de Einstein demonstra que quanto mais você se aproxima dessa velocidade, mais lentamente o tempo passa para você. Esse é um fenômeno conhecido como dilatação do tempo e seus efeitos são demonstrados por um famoso paradoxo convenientemente chamado de paradoxo dos gêmeos. Imagine um experimento envolvendo você e um suposto irmão gêmeo. Você embarcará numa viagem de 1 ano em uma espaçonave que se move a 98% da velocidade da luz e depois retornará à Terra, totalizando 2 anos de viagem. Enquanto isso, seu outro gêmeo ficará na Terra esperando a sua volta. Porém, quando isso acontecer, você perceberá que não se passaram 2 anos na Terra, mas sim 10 anos! Ou seja, seu irmão que ficou na Terra agora está 8 anos mais velho! Para as pessoas na Terra, é como se você estivesse em “câmera lenta” do lado de dentro da nave, onde o tempo corre mais lentamente. Já para você, tudo estará normal. Depende do seu referencial. Daí o nome “relatividade”. E foi exatamente nessa situação em que se meteram Luke e Leia! Durante os filmes, os gêmeos percorreram diferentes distâncias intergalácticas a grandes velocidades, portanto não possuem mais a mesma idade. Mas em quanto exatamente os filmes erraram o alvo?

Um grupo de estudantes da Universidade de Leicester tentou responder a essa pergunta. Num artigo publicado no Journal of Interdisciplinary Science Topics, os estudantes usaram um exemplo do filme “O Império Contra-Ataca”. Considere as viagens separadas que ambos os gêmeos fazem para Cloud City. Leia viaja a partir do sistema vizinho de Anoat, enquanto Luke viaja do planeta muito mais distante Dagobah. A jornada de Luke, pelo seu referencial, durou 7 dias enquanto que a de Leia, em seu referencial, foi estimada em 6,72 horas. Como nada pode viajar mais rápido que a luz, o grupo estimou a velocidade da Millennium Falcon em que Leia viaja em 99,999% dessa velocidade. E a X-wing em que Luke viaja, uma nave mais lenta, em 99,995%. (Essa pequena diferença importa muito.) Nessas condições, a viagem de Leia rende uma dilatação do tempo de 62 dias para o futuro, enquanto que Luke experimenta uma dilatação de 700 dias. Ou seja, no final das duas viagens, Leia está quase 2 anos mais velha que Luke! E papai Vader ficou um bom tempo esperando-os na mesa de jantar… Mas calma que ainda não acabou! A verdade é que esses estudantes cometeram alguns erros fatais nesse raciocínio. “Então a história não é tão louca assim, né?” Não… É ainda mais. Darth Vader pode nem mesmo ter existido.

Cena do jantar de Darth Vader
O primeiro encontro com o pai dela é sempre complicado…

A Relatividade previu que um corpo não pode passar da velocidade da luz porque, a medida que sua velocidade aumenta, sua massa também aumenta. Ao chegar na própria velocidade da luz, sua massa tende a ser infinita, necessitando portanto de energia infinita para se locomover. É por isso que somente a luz alcança essa velocidade, porque ela não tem massa. Mas para isso que serve a ficção científica, não é mesmo? Suponhamos que eles tenham encontrado alguma maneira de vencer essas dificuldades… Nesse contexto, as naves de Star Wars conseguem ultrapassar a velocidade da luz, o que provavelmente é o que ocorre no filme. “Então problema resolvido, certo?” Não. E é aí que as coisas se enrolam… Algo interessante acontece nas fórmulas quando você ultrapassa a velocidade da luz: O tempo passa a correr negativamente! Portanto, Luke e Leia teriam voltado ao passado nessa viagem, podendo inclusive ter chegado antes de Darth Vader e armado uma emboscada (Emboscadaception?) ou até mesmo retornado para uma época anterior ao nascimento do pai e impedido o mesmo de nascer. As possibilidades são infinitas e a maioria envolve paradoxos de entortar o cérebro. (Se quiser saber mais sobre viagem no tempo ao passado, clique aqui!) Será que existe alguma solução para esse problema que não destrua a história como ela é?

Hyperspace no Despertar da Força
Nova representação do Hiperespaço

A única explicação plausível é a de que as naves em Star Wars se movem por uma espécie de plano paralelo em que a Relatividade não se aplica em relação ao resto do Universo. No próprio filme é dito que as naves se movem por um “hiperespaço”. Porém, sabemos que elas não se teletransportam pois levam certo tempo até chegar ao destino. Por isso elas ainda precisam se deslocar com alguma velocidade e portanto ainda devem sofrer algum efeito relativístico. Com tudo isso, fica difícil defender que os gêmeos Skywalker ainda tenham a mesma idade. Mas uma coisa é certa… Pelo menos dessa vez, a realidade foi mais estranha que a ficção.

12 COMENTÁRIOS

  1. Nunca falaram nada sobre o pai do Anakin… Será que o Luke voltou ao passado e engravidou sua vó?
    DV: “Luke, eu sou seu pai”.
    Luke: “E eu sou o seu”.

    *explode cabeça

  2. Ora, diante de uma armadura que cobre o corpo inteiro e de um sintetizador de voz, quem pode garantir que apenas o Anakin Skywalker utilizou aquele paramento?

    Outra coisa: quem pode garantir que Leia e Luke são filhos do mesmo pai? Pode ser que a Padmé tenha resolvido “costurar” para fora. Aliás, teria sido esse o motivo da briga entre Anakin e Obi-Wan? Nada como um triângulo amoroso para colocar uma lenha da trama, não é mesmo?

    Bom, vamos falar sério agora: e se a nossa Física estiver errada? Afinal de contas, a prática nem sempre confirma a teoria.

    Abraço,
    Luiz.

    • Hahaha Pode ser! Tudo é possível quando não se sabe a história por completo. Ainda mais quando abrimos as portas para os paradoxos temporais. Nem é preciso a Física estar certa ou errada nesse caso porque, como se trata de ficção, sempre podemos arranjar uma nova desculpa para explicar o problema. Mas realmente… Enquanto não pudermos testar certas teorias, a prática poderá nos contradizer. Um abraço, Luiz!

Deixe uma resposta