Compartilhar
moto quase batendo
Esse foi quase…

Se você vive em uma grande cidade, é praticamente impossível que nunca tenha presenciado um acidente de moto. Geralmente são os motoqueiros que levam toda a culpa no cartório, porém, é compreensível… Alguns estudos diferentes feitos no Brasil apontam que algo entre 73% e 88% dos acidentes de moto acontecem por imprudência dos motoqueiros. Isso não quer dizer que todo motoqueiro seja imprudente, mas a moto, por não ser um veículo tão seguro, atrai muitos “viciados em adrenalina”… “Então é isso? Acabou a matéria?” Ainda não. Existe um fato de extrema importância e que muito se repete nesse acidentes. Porém, na maioria das vezes, o deixamos passar… É a frase “Eu não vi a moto.”.

Por que isso é tão importante? Você já vai entender… Antes, se estiver no banheiro com carregador e wifi tiver um tempinho sobrando, assista o vídeo abaixo e conte atentamente o número de vezes que um jogador de branco faz um passe. Esse vídeo serve para que você possa testar sua atenção. Você pode pular essa parte mas não adianta voltar depois pois a resposta está abaixo! Preparado? Lembre-se que sua atenção está sendo posta à prova. Valendo!

Conseguiu contar os 16 passes? Você é o bixão mesmo hein. Parabéns! Mas… Você viu o gorila? Para pessoas que nunca ouviram falar desse teste, aproximadamente metade não consegue ver o gorilão passando no meio das jogadoras. (Confira se você não viu!) Se você já ouviu falar do teste ou simplesmente conseguiu ver o gorila, não fique tão animado. Você percebeu a cortina mudando de cor? E a garota de preto saindo do jogo? Oops! Mas por que isso acontece? Como não conseguimos perceber detalhes do ambiente obviamente se transformando diante de nossos olhos e até mesmo um gorilão passando no meio das pessoas? Dê graças ao seu sistema de ativação reticular, mais conhecido como SAR.

Sistema de ativação reticular
Sistema de ativação reticular (em rosa)

A partir desse momento você está consciente da sua respiração… Agora também da sua língua descansando desconfortavelmente na sua boca. Agradeça-me depois por lembrar-lhe disso. Mesmo quando você não está prestando atenção, seu cérebro está recebendo essas e mais outras milhões de informações provenientes do seu corpo, do mundo exterior, dos seus pensamentos… Se você fosse sempre consciente de todas as informações sensoriais que recebe a todo momento, seu cérebro daria tela azul simplesmente não funcionaria. Para controlar essa avalanche de informações com que você tem que lidar, seu cérebro utiliza o SAR. Esse sistema no seu cérebro serve como um filtro de informações. Ele dá a devida importância as informações que você recebe e assim escolhe o que é ou não importante para completar a tarefa que você está fazendo. Quando você decide prestar atenção máxima nas garotas de branco passando a bola, seu cérebro deixa de dar importância às outras informações e portanto não lida com elas. Você está recebendo a informação visual do gorila mas simplesmente “deixa passar”. Você consegue adivinhar o que isso tem a ver com os acidentes de moto?

moto batendo no carro
Motorista abrindo a porta sem perceber a moto

Quando um motorista de carro muda de faixa, geralmente o pensamento que lhe passa pela cabeça é de “olhar para ver se tem carro”. A partir do momento que você conscientemente diz para seu cérebro procurar por carros, ele simplesmente ignora qualquer outro estímulo sensorial que pareça menos importante, como por exemplo, uma moto. Adicione isso a um pouco de imprudência e você consegue um belo acidente. Se você é motorista de carro e deseja se blindar contra isso, treine-se para pensar em “veículos” em geral ao invés de carros. Em alguns dias você vai perceber que isso se tornou natural e você começará a notar motos e até bicicletas antes de virar ou mudar de faixa. Pense em quantos acidentes podemos evitar!

bode na moto
Um ato de extrema imprudência… Cadê o capacete do bode?!

O SAR não é apenas uma mera curiosidade, ele dita a maneira como você enxerga o mundo. Quando você entra para alguma associação ou grupo, passa a enxergar o mundo através daquelas lentes, procurando informações sensoriais que comprovem tudo aquilo que você já pensa que é certo. E assim todos pensam sempre estar certos, pois veem “provas” para o que pensam em todo lugar. É o SAR que faz com que você passe a ver “Doctor Who” em todos os lugares depois de assistir pela primeira vez, pessoas parecidas com sua nova paixão, o número da sua casa numa placa de carro… Faz com que você veja coincidências em todo lugar. Faça o teste: comece a pensar em algo aleatório como “bodes” a todo momento. Você passará a ver bodes e referências a eles em todo lugar.

Sabe também aquela história de “atrair coisas com o poder da mente”? Sinto lhe dizer, mas é tudo besteira… Não existe nenhum experimento na história que tenha comprovado isso. Mas a ideia básica não está de todo errada. Num experimento sobre sorte, pesquisadores pediram tanto para voluntários que se consideravam sortudos quanto o oposto para que contassem o número de fotos num jornal. Os ditos azarões levaram aproximadamente 2 minutos para contar todas as fotos. Enquanto isso, a maioria dos “sortudos” levou apenas alguns segundos para completar a tarefa. Por quê? Porque na segunda página estava escrito em letras garrafais: “Pare de contar. Há 43 fotografias nesse jornal.” No meio do jornal, uma segunda mensagem: “Diga ao pesquisador que você viu isso e ganhe £250.” Quem se considerava azarado, passou direto pelos dois avisos… Você recebe milhões e milhões de informações sensoriais a todo instante. Se você quer arrumar um emprego, viajar barato, tirar melhores notas ou apenas desviar de motos, treine-se para encontrar essas oportunidades! Os gorilas passam por você a todo momento, só é preciso escolher vê-los.

3 COMENTÁRIOS

  1. Salve, Ewerton!
    Esta matéria me lembra aquela passagem de “O Código da Vinci”, em que Robert Langdon e Leigh Teabing fazem uma análise do quadro “A Última Ceia”, de Leonardo da Vinci. Eles falam a respeito do mecanismo chamado “escotoma”: a mente vê aquilo que escolhe ver.
    Aliás, no caso citado no enredo de Dan Brown, não basta apenas eleger os macacos certos. Por questões de segurança, é muito importante estar entre pessoas que tenham escolhido enxergar os mesmos símios. Por que será?
    Mas… sejamos sincero. No trânsito brasileiro, via de regra, o que ocorre é canalhice mesmo. A preferência acaba sendo do veículo mais pesado. O ciclista sacaneia o pedestre e reclama da moto. O motociclista sacaneia pedestre e ciclistas e reclama dos carros. Os carros sacaneiam pedestre, ciclistas e motociclistas e reclama dos ônibus. E por aí vai. Enxergam os gorilas e ignoram os micos.
    Forte abraço!

    • Hahahahha Sr. Creysson foi sinistro… É claro, tudo no Brasil é um exceção. Aqui a falta de educação reina absoluta no trânsito. E como você disse, um vai reclamando do outro e fica por isso mesmo… Um abraço, Luiz!

  2. Baixou Sr. Creysson aqui! Hahahaha
    ” Os carros sacaneiam pedestre, ciclistas e motociclistas e reclama dos ônibus” => Os carros sacaneiam pedestre, ciclistas e motociclistas e RECLAMAM dos ônibus.

Deixe uma resposta