Compartilhar
Francis "Two Gun" Crowley
Francis “Two Gun” Crowley

No dia 7 de maio de 1931, a cidade de Nova York teve um dia de extremo tumulto e apreensão. Cento e cinquenta policiais e detetives protagonizaram uma verdadeira caçada humana ao criminoso Crowley, mais conhecido como “Two Gun”. O na época comissário de polícia Mulrooney declarou que “Two Gun” era um dos elementos mais perigosos da história do crime de Nova York. Oficiais da lei lotaram prédios vizinhos de metralhadoras e, por mais de uma hora, protagonizaram uma verdadeira cena de ação num dos bairros mais finos de Nova York. Do outro lado, agachado atrás de uma cadeira, Crowley resistiu ferozmente atirando incessantemente contra a polícia. Mais de dez mil pessoas assistiram a batalha épica e a culminante vitória dos policiais. No entanto, um incidente curioso aconteceu naquele dia… Enquanto a polícia atacava seu apartamento, Crowley conseguiu escrever uma carta endereçada “a quem possa interessar”. Essas foram as palavras escritas por Crowley no papel ensanguentado: “Debaixo do meu casaco há um coração cansado, mas bondoso – um coração incapaz de fazer mal a qualquer pessoa.”

"Pelo meu ponto de vista, os Jedi são maus." *Assassina um grupo de crianças*
“Pelo meu ponto de vista, os Jedi são maus.” -Anakin Skywalker, após assassinar um grupo de crianças.

Pouco tempo antes, Crowley havia atirado friamente num policial que pediu a licença do seu carro. Depois disso, saiu do carro, pegou a arma do policial e atirou mais uma vez no oficial que já se encontrava prostrado no chão. Sim, o homem que cometeu essas atrocidades é o mesmo homem que considerava-se um coração bondoso. Se você pensa que esse caso é uma exceção, pense em Al Capone que dizia ter passado a sua vida “proporcionando verdadeiros prazeres ao povo” ou em oficiais nazistas que acreditavam ser “bons homens seguidores da lei”. Esse exemplo foi retirado do clássico livro “Como Fazer Amigos E Influenciar Pessoas”, de Dale Carnegie. Ele serve para ilustrar que, se até mesmo essas pessoas consideravam-se boas, o que você acha que pensa aquele cara que te cortou no trânsito hoje de manhã? Isso nos leva a diversas questões filosóficas… O que é maldade? Ela é universal ou subjetiva? Será que pessoas nascem más ou se tornam assim? Se esse for o caso, o que as leva ao lado negro da Força? Para responder a essas perguntas, precisamos de algo mais concreto…

“Apenas um Sith lida em absolutos.” -Obi Wan Kenobi, sem perceber a ironia de sua frase.

Humanos tem a péssima mania de rotular e dividir tudo em grupos, entre bem e mal, certo e errado… Mas acontece que a vida raramente é feita de extremos dessa maneira. A verdade é que não existe uma resposta absoluta para essas perguntas… É evidente que o conceito de maldade é fluido. De pessoa para pessoa, país para país, religião para religião… No entanto, ela não é totalmente “criada”. A psicologia emprega uma “taxonomia” para os diferentes tipos de maldade empregados no dia-a-dia. Aqui estão eles: narcisismo (Relacionado a um senso de grandiosidade, orgulho e egoísmo.), maquiavelismo (Caracterizado pela exploração e manipulação fria de outras pessoas em prol do seu próprio bem estar.) e psicopatia (Caracterizada por comportamento antissocial, egoísmo, insensibilidade e ausência de qualquer tipo de remorso.) Juntos eles formam a chamada “Tríade do Mal”. São 3 traços relativamente independentes e uma boa maneira de “quantificar a maldade”. Alguns psicólogos advocam a favor de uma “Tétrade do Mal”. Não, eles não querem se tornar os novos vilões do Quarteto Fantástico. (E mais ninguém depois desse último filme…) Na verdade eles propõem a inclusão de um quarto traço: o sadismo, que é a satisfação com a dor e o sofrimento alheio e a principal característica dos trolls da internet. Porém, vamos deixá-los para uma outra hora…

tumblr_mr4mswW7961sd35juo1_500
99% mal, mas aquele 1% safadão bom

Esses traços não são tão simples na vida real como nessas descrições simplificadas. São mais como um espectro um tanto complexo e com diversas vertentes, não como rótulos. Porém, servem como base para responder nossas perguntas. Estudos que compararam gêmeos idênticos e não-idênticos sugerem que existe um componente genético substancial para o narcisismo e para a psicopatia. Já o maquiavelismo parece ser mais influenciado por fatores externos. Mas nenhuma traço é 100% genético ou comportamental. Todos caímos em algum lugar desse espectro, que se transforma ao longo da vida e de situações. Mas se todos temos esses traços… Será que todos somos maus?

O experimento da prisão de Stanford é um dos mais famosos experimentos sobre maldade. E também um dos mais cruéis… Nesse experimento, o professor de psicologia Phil Zimbardo selecionou 21 estudantes voluntários para um experimento. Nele, 11 fariam o papel de guardas e 10 de prisioneiros. Porém as coisas começaram a desandar a partir do segundo dia… Os estudantes no papel de guardas, encorajados pelo professor, começaram a incorporar personagens hostis e extremamente violentos. Apesar de agressões físicas serem terminantemente proibidas, os “guardas” passaram a torturar constantemente os outros estudantes, que achavam apenas que seriam presos por alguns dias. Algumas torturas incluíam privação de sono, tirar as roupas dos presos, pisar em suas costas enquanto eram obrigados a fazer flexões e diversas outras atrocidades. O experimento teve de ser interrompido após cinco dias, quando Zimbardo, envergonhado, percebeu o horror em que se tornou seu experimento. Será que pessoas boas em situações más… Se tornam más?

Cena do filme baseado no experimento...
Cena do filme baseado no experimento…

O experimento, apesar de famoso, não é inteiramente conclusivo. Antes de tirarmos conclusões, pergunte a si mesmo: Que tipo de pessoa é voluntária para um experimento de prisão? Os psicólogos Thomas Carnahan a Sam McFarland descobriram que voluntários para um estudo sobre a vida em prisões, quando comparados a voluntários para um estudo qualquer, pontuaram 27% a mais em agressividade, 10% a mais em autoritarismo, 10% a mais em maquiavelismo, 12% a mais em narcisismo e 26% a mais em dominância social (acreditavam na importância da hierarquia). Porém, o que os guardas que possivelmente não exibiam esses traços fizeram? Nada. Todos os guardas aderiram ao personagem. Isso demonstra perfeitamente o chamado “comportamento de manada”, quando indivíduos começam a agir de acordo com seu grupo sem nenhum motivo aparente. É o que aconteceu no linchamento até a morte de uma dona de casa acusada de sequestrar crianças para usar em rituais de magia negra em São Paulo. (Afinal, se todos estão falando deve ser verdade, né?) Essas pessoas, por pura ignorância, cometeram uma atrocidade acreditando fazer o bem… Nesse caso, assassinar uma mulher por conta de um simples boato sem confirmação.

Legítima defesa...
Legítima defesa…

Uma outra característica do Narcisismo é a ausência de empatia. A empatia, apesar de tão importante, infelizmente é sempre confundida com simpatia. Empatia é a capacidade de entender e sentir o que o outro sente, ou seja, de se colocar na pele de outra pessoa. Talvez seja isso que nos falta como sociedade: saber se colocar no lugar do outro. A verdade é que não podemos apontar exatamente a origem da maldade em uma pessoa e dizer exatamente se ela nasceu ou foi criada para ser assim. Até porque a maldade pode estar em seus próprios olhos. Olhe as pessoas ao seu redor. Todas elas acreditam ser justas e benevolentes. Até Crowley, políticos corruptos e toda a população da Alemanha nazista… Que tipo de maldade nós estamos cometendo agora?

Vídeo Bônus (Qualquer um pode ir para o lado negro…):

2 COMENTÁRIOS

  1. Salve, Ewerton!

    Essa discussão é muito boa. A melhor explicação que encontrei até hoje para isso foi dada por Sócrates. Mas acho que é um pouco complicado para resumir numa curta postagem. Podemos falar sobre isso depois.

    Estou ficando chato com essa história de filme, mas você chegou a assistir “A Experiência” e “Detenção”? São duas produções baseadas nesse experimento de aprisionamento de Stanford. São perturbadores.

    Abraço,
    Luiz.

    • Hahaha Não assisti nenhum dos dois… Minha lista de filmes está crescendo. xD Realmente todo assunto assim é complexo demais para uma simples postagem. Você tem que escolher um caminho apenas e dar uma boa resumida. Mas fiquei curioso sobre Sócrates. Demais me conte essa história! Um abraço!

      Ewerton

Deixe uma resposta