Compartilhar

O mundo perfeito, no ponto de vista da leitura, seria aquele em que é possível se ler muito, em pouco tempo e absorvendo a maior parte do que se é lido. O mundo ideal não existe, mas podemos usá-lo como um motivador para melhorarmos nosso mundo de leituras lentas e que facilmente nos esquecemos.

Como ler rápido?

LettercolFlashAo longo do tempo, muitas técnicas de leitura dinâmica (speed reading) têm aparecido para solucionar os problemas de falta de tempo. Mais recentemente, inclusive, diversos apps têm aparecido alegando terem a fórmula mágica, mas poucas evidências científicas apoiam essas técnicas.

Uma das técnicas convencionais é o skimming (passar levemente sobre, “passada d’olhos”). Se utilizando dela, você corre seus olhos sobre o texto e tenta entender tudo o que ele fala entendendo palavras-chave. Ok, nem é preciso explicar muito por que esse método não é muito eficiente, né? Partes do texto nem sequer são lidas então muitas vezes o leitor não entende o que está de fato escrito.

can_t_brain_today____by_beyondthegrave1986-d5vbj1c
Ela precisa focar mais na leitura

Outro método se chama meta-orientação (meta guiding) e consiste em usar uma caneta ou o dedo para apontar as palavras que se está lendo, assim, se distrai menos e o foco que se tem na leitura aumenta inibindo a chamada sub-vocalização que é quando você pensa no som das palavras enquanto lê. O pesquisador Keith Rayner, especialista em leitura e rastreamento de olhos, diz que segundo uma pesquisa a sub-vocalização é muito importante para a leitura e, sem ela, a compreensão de textos mais difíceis é muito deficitada.

Uma terceira técnica consiste em usar a visão periférica para ler várias linhas de uma vez. Isso não pode dar certo pois, pelo que se sabe sobre a retina, a região onde a imagem é melhor só consegue englobar aproximadamente 4 letras de uma vez. Tentar ler mais do que isso de uma vez prejudica ou impossibilita a compreensão.

qy52pm23clrrldcgmsy5
Spritz

Já sobre os recentes apps de leitura rápida podemos enfatizar o Spritz que usa o método Rapid Serial Visual Presentation (RSVP, Apresentaão visual rápida e em série). Ele funciona da seguinte forma, uma caixa exibe as palavras do texto em ordem, com isso, se economiza o tempo que normalmente é usado para mover os olhos entre uma palavra e outra ou entre uma linha e outra. A equipe de desenvolvimento do Spritz alega que, com treinamento, não há déficit de compreensão do texto lido. Rayner, porém, afirma que esse método não permite que tenhamos um tempo depois de cada frase, tempo esse que nosso cérebro usa para assimilar tudo que leu. A equipe do Spritz afirma, em resposta, afirma que o programa dá sim um tempo para o leitor após cada pontuação.

O que Rayner também diz sobre o Spritz é que ele não deixa que o leitor volte e releia o que acabou de ler. Isso sobrecarrega a memória de curto prazo e a retenção da informação se torna deficiente.

Nós aqui do SciBreak já experimentamos esses métodos. A meta-orientação funcionou para nós não nos desconcentrar-mos, mas inibir a sub vocalização é realmente mais difícil. E o Spritz também funcionou, ele te força a não subvocalizar, mas a partir de uma velocidade fica muito cansativo ler e o compreendimento realmente não é satisfatório, mas para aumenta a velocidade de 200 para 300 palavras por minuto já é um ótimo resultado sem ser sobre-humano.

Como aprender melhor com o que leu?

B_4nzpmXAAAGDe0
“Enquanto ensinamos, aprendemos”

Pouca gente aprende com a primeira leitura. Estudos comprovam que aqueles que ensinam o que sabem tendem a fixar melhor pois para explicar algo é preciso que se organize as ideias dentro da cabeça melhorando seu entendimento e memória. E quando se explica algo, você acaba reparando nas falhas de conhecimento, isto é, as partes que você não entendeu e isso faz você correr atrás de entender o assunto por completo.

brother-teaching-sisterEstudos concluíram, até, que os filhos mais velhos geralmente tinham Qi maior que os seus irmãos mais novos. Isso é associado ao fato deles ensinarem muitas coisas aos pequenos desde que eram crianças.

Chega-se a conclusão que qualquer método de leitura rápida prejudica a retenção da informação (e quando rápido demais, até a compreensão dela). E o ato de explicar a alguém, tem grande influência no aprendizado a longo prazo.

Visto isso, qual é a dica SciBreak? Use um dos métodos de leitura rápida e tente se adaptar a algum deles. De qualquer jeito sua retenção total do material não vai ser a melhor possível. Então sugerimos que de tempos em tempos se faça um breve resumo do que leu, assim, é como se você estivesse ensinando aquilo para o seu “eu” do futuro.

 

Fontes: TIME, Lifehacker

Compartilhar
Artigo anteriorO carro a água é real mesmo?
Próximo artigoComo se formam os raios?
Aprender faz você se achar mais burro e isso é muito bom! Estou sempre correndo atrás de coisas para aprender e me amarro em explicar para as pessoas o que eu aprendi (mas só quando me perguntam e ninguém me pergunta). Estudo publicidade mas isso não quer dizer nada além de eu saber usar a Varinha Mágica do Photoshop. Se alguém se importar, sou ENFJ.

Deixe uma resposta